A semente é o insumo mais valioso da supersafra

15 DE MARÇO DE 2017

A semente é o insumo mais valioso da supersafra

A  bibliografia de técnicas agrícolas sugere que as condições ideais para a conservação das sementes são aquelas em que as suas atividades metabólicas são reduzidas ao mínimo, mantendo-se baixas a umidade relativa e temperatura no ambiente de armazenamento. Dessa forma, a armazenagem adequada das sementes evita perdas tanto no aspecto qualitativo como quantitativo.

A umidade de sementes logo após a colheita normalmente é elevada. A manutenção por um período mais elevado desta umidade contribui para acelerar o processo de deterioração das sementes em função das atividades metabólicas, do consumo de reservas, liberação de energia e, por conseguinte, diminuição da sanidade das mesmas. 

Pode-se considerar que, desde o momento em que atinge a maturidade fisiológica (máximo de qualidade), a semente está sendo armazenada no campo, sujeita a condições potencialmente adversas de temperatura, umidade e ataque de pássaros, insetos e microrganismos que podem provocar perdas qualitativas e quantitativas que alcançam, muitas vezes, níveis bastante elevados. Assim, quando atingir de 11 a 13% de umidade, a semente pode estar em avançado estado de deterioração, ficando inutilizada para fins de semeadura. A semente pode, também, atingir teores de água muito baixos (8-10%), de modo que a danificação mecânica ocasionada pela colheita e transporte se torne comprometedora. Por outro lado, a semente poderá hidratar-se novamente devido à chuva, ao orvalho e às flutuações de UR, sendo necessário uma espera para a colheita, o que, dependendo do período de tempo, pode ser altamente prejudicial.

Por ocasião da colheita, a semente deve apresentar teor de água compatível, variável de espécie para espécie e entre cultivares da mesma espécie, que permita a colheita mecânica com danos mecânicos restringidos ao mínimo.

Algumas vantagens de se colher as sementes com umidade alta e se proceder a secagem são:

a) possibilidade de planejar a colheita;

b) possibilidade de colher mais horas por dia e mais dias por safra;

c) menor perda de sementes por deiscência/degrane natural. Enfatiza-se que, para muitas espécies recalcitrantes, as sementes não podem ser secadas a baixos teores de água.

O armazenamento de sementes em condições de ambiente controlado (temperatura e/ou umidade relativa do ar) permite conservá-las por longos períodos de tempo. As sementes são higroscópicas e, para evitar que absorvam umidade do ar e o aumento do teor de água a limites que afetariam sua qualidade, as condições ambientais podem ser modificadas permitindo a conservação das sementes a baixas temperaturas e/ou baixa umidade relativa do ar. Para isso, utiliza-se a refrigeração e/ou a desumidificação.

A refrigeração pode ser utilizada em armazéns de sementes estocadas em sacos, para resfriar o ar em ambientes quentes ou com temperaturas acima de 20ºC. 

Fonte: Agrolink, CONSERVAÇÃO DE SEMENTES DE AMENDOIM (Arachis hypogaea L.) EM FUNÇÃO DO BENEFICIAMENTO, EMBALAGEM E AMBIENTE DE ARMAZENAMENTO, Gilvaneide Alves de Azeredo

Sugestões da Termoprol, de máquinas que desempenham essa função:

MONOBLOCO FRIGORÍFICO LINHA TM

- MONOBLOCO FRIGORÍFICO LINHA TR

UNIDADE CONDENSADORA LINHA TS 

RACK MULTICOMPRESSOR LINHA CC

TAGS RELACIONADAS